Censo 2019 – Metodologia

Como nós desenvolvemos a quinta edição deste importante estudo sobre espaços de trabalho compartilhados.



O Censo Coworking Brasil é a principal referência para o mercado de espaços compartilhados brasileiro, por isso nós levamos muito a sério a metodologia de desenvolvimento da pesquisa. Dessa forma, oferecemos dados confiáveis e de qualidade para o mercado, investidores e imprensa.

Dito isso, dois pontos importantes precisam ser considerados. Primeiro, apesar do nome, o Censo não abrange 100% dos espaços. Tradicionalmente um Censo deveria entrevistar todos os indivíduos daquela população, mas nós não fazemos isso. O estudo é baseado em uma amostra parcial. Em 2019, conversamos com 220 espaços de coworking, de uma população total de 1497, gerando um estudo com 95% de nível de confiança e uma margem de erro de 6%.

Nós conversamos com espaços das 5 regiões do Brasil, mas é importante destacar que 43% dos participantes são do estado de São Paulo. Essa desproporção é devida ao próprio tamanho do mercado nessa região. Portanto, é interessante notar que apesar do estudo ser nacional, ele pode apresentar algumas distorções de acordo com a região analisada.

Segundo: o estudo é tão bom quanto as respostas que os gestores nos oferecem. O questionário qualitativo é completamente anônimo, deixando os gestores a vontade para serem transparentes. Para evitar participação de pessoas de fora do mercado, nós divulgamos o questionário apenas para a base de fouders e gestores.

Além disso, nós cruzamos diversos dados durante o questionário para identificar participações fora do padrão. Por exemplo: nós sabemos a média de mercado para diversas estatísticas, como o total de membros por metro quadrado, ou o faturamento previsto por total de membros. Sempre que números apresentados ficam muito fora da média, são removidos. O questionário também é bem extenso, levando em torno de 20 minutos para ser preenchido. Nós também removemos respostas que fogem muito desse número.

Histórico e objetivos

A primeira edição do Censo foi realizada em 2015, através das mãos do Anderson Costa, editor do Movebla. Nessa primeira edição, foram encontrados 238 espaços do tipo no país. Desde então ele vem sendo realizado anualmente e chega a sua quinta edição em 2019. Uma grande referência para produção do primeiro estudo foi o Global Coworking Survey, um estudo que analisa o mercado de forma global e possui suas próprias metodologias.

Desde 2017 nós do Coworking Brasil assumimos o projeto, ampliamos, e reestruturamos algumas coisas. Pra nós, este estudo tem um único objetivo: entender como o mercado de espaços de coworking se desenvolve no Brasil.

Da mesma forma que o projeto original do Anderson, nós publicamos os dados do estudo de forma gratuita e aberta para a comunidade, possibilitando que cada um faça a sua interpretação e utilize estes dados da forma que precisar.

A metodologia é separado em 3 etapas:

  1. Mapeamento dos espaços
  2. Levantamento do perfil
  3. Normatização e apresentação

1. Mapeamento:

Nessa fase nós buscamos encontrar todos os espaços compartilhados do país. É uma etapa de data minner, puramente quantitativa. Nós partimos da base de espaços registrados e confirmados na nossa plataforma, e expandimos cidade por cidade Brasil a fora. Em 2019, nós pesquisamos todos os municípios brasileiros acima de 100 mil habitantes, seguindo a lista da wikipedia ordenada por população. Foram 324 municípios analisados.

Para que um espaço seja encontrado por nós, ele precisa ter algum tipo de presença online. Se o espaço é completamente fechado, não possui site, página do Facebook ou qualquer outra ocorrência online, provavelmente ele não consta no Censo 2019.

Durante esse processo nós também validamos se a empresa permanece ativa, através de presença em redes sociais, contato via e-mail ou telefone.

A coleta deste ano foi feita entre setembro e novembro de 2019. Espaços que abriram ou fecharam após esta data não foram considerados.

Empresas que possuem mais de uma sede, em endereços diferentes, são considerados espaços independentes. Porém, no questionário qualitativo, nós solicitamos que seja respondido baseado em apenas uma unidade, não no grupo completo.

O que é coworking?

Durante a pesquisa nós nos deparamos diversas vezes com uma dúvida: este espaço é um coworking ou não? Essa é uma pergunta difícil e possui muitas interpretações.

Um grande espaço de mesas compartilhadas pode ter zero interações entre os membros, o que vai de forma oposta ao movimento coworking. Da mesma forma, uma pequena sala com 5 mesas pode criar uma rede muito unidade de profissionais.

A verdade é que não cabe ao Coworking Brasil julgar ou definir o que é coworking. Pensando nisso, tomamos a decisão de incluir no censo todos os espaços que:

  • Possuem o serviço de estações de trabalho individuais em um espaço compartilhado.
  • Oferecem a opção de profissionais independentes utilizarem a infra-estrutura do local para desenvolver suas atividades profissionais.

Nós não incluímos no Censo:

  • Business Centers que não oferecem um espaço compartilhado.
  • Escritórios Virtuais, grupos informais ou “espaços nômades”.
  • Espaços claramente privados, e que apenas compartilham duas ou três mesas livres apenas ocasionalmente. No entanto, espaços privados que se estruturaram para oferecer um ambiente de coworking são incluídos.

2. Levantamento do perfil

Após sabermos exatamente quantos espaços exitem, nós iniciamos um levantamento das características destes espaços. É enviado um questionário para cada espaço, com dezenas de perguntas sobre o seu perfil.

A maioria das questões são relacionadas ao ano anterior. O Censo 2019 analisa o desempenho dos espaços em 2018. Algumas questões, no entanto, podem representar as expectativas futuras do mercado.

O questionário é 100% anônimo, e nós não permitimos a filtragem de resultados em regiões que oferecem poucos espaços, para impedir que as empresas possam ser de alguma forma identificadas individualmente.

Devido ao nosso excelente relacionamento com o mercado, e ao grande apoio da nossa comunidade, em 2019 obtivemos a participação de 220 espaços nessa fase. 84% dos questionários foram respondidos pelos próprios fundadores ou sócios da empresa, 12.8% por gestores ou administradores diretos.

3. Normatização e apresentação

Por fim, analisamos os dados, excluímos qualquer ocorrência que julgamos inválida, preparamos os gráficos mais interessantes e apresentamos ao público.

Espaços que fazem parte da comunidade Coworking Brasil recebem o estudo com exclusividade e de forma antecipada. Após, divulgamos para imprensa e veículos de comunicação em geral. Algum tempo depois todo o estudo é divulgado de forma pública, para que qualquer pessoa tenha acesso a ele e possa fazer suas próprias análises e tomar melhores decisões.

O Censo Coworking Brasil é um trabalho desenvolvido pelo mercado, para o mercado. Nosso objetivo é ano após ano apresentar dados mais confiáveis e relevantes, ajudando todos a compreenderem como o movimento coworking evolui no Brasil.

Conheça o estudo de 2019
Conheça o estudo de 2018
Conheça o estudo de 2017
Conheça o estudo de 2016
Conheça o estudo de 2015