Coworkings pelo mundo: como funciona o e-Residency da Estônia

Eleito o melhor país para startups, a Estônia já atraiu mais de 50 mil empreendedores e nômades digitais do mundo todo.

Imagem Coworkings pelo mundo: como funciona o e-Residency da Estônia

Este é o primeiro artigo da série Coworkings pelo mundo que vamos falar sobre um país e não uma cidade. Depois de abordarmos por aqui as incríveis Koh Lanta, Barcelona, Budapeste, Cidade do México e Berlim, hoje resolvemos falar sobre essa nação que está muito à frente quando o assunto é tecnologia e transformação digital.

A Estônia merece uma atenção especial dos nômades digitais. Esse pode não ser o país dos sonhos da maioria dos viajantes, mas certamente é um lugar que deveria ser referência. O país báltico de pouco mais de 1 milhão de pessoas tem se destacado na última década por seu incentivo aos empreendedores digitais. Eles são o país com o maior número de startups per capita de toda a Europa. Vem com a gente entender mais dessa história.

O e-Residency vai revolucionar a vida dos empreendedores digitais!

Pode-se dizer que toda essa revolução digital começou lá em 1991, quando o país conquistou sua independência da União Soviética. O que poderia ser um problema acabou se tornando um case de inovação. Eles precisavam fornecer serviços públicos de qualidade e sem muitos custos. Daí pra frente, praticamente tudo que envolve burocracia passou a ser feito de forma digital. Tudo mesmo: de abertura de empresas a votação online durante as eleições.

Já em 2000, todas as reuniões do governo não utilizavam mais papel e desde 2002 as áreas populares do país possuem rede pública de wi-fi gratuito.

Toda essa visão, que surgiu meio que no desespero para apagar os vestígios da burocracia soviética, fez com que a Estônia garantisse a posição de nação com maior avanço digital do mundo.

Depois de estabilizar seus processos digitais, o país precisou novamente se reinventar, dessa vez por conta da diminuição de sua já enxuta população. Para aumentar o número de contribuintes, eles criaram o e-Residency.

como funciona o e-Residency

Com o e-Residency, cidadãos do mundo inteiro podem usufruir de serviços digitais que antes somente podiam ser utilizados por residentes do país. Sim, isso mesmo: você pode abrir uma empresa na Estônia estando em qualquer lugar do mundo!

Através de um cartão de identificação inteligente que você conecta ao seu computador, você pode abrir e administrar uma empresa online com sede física dentro da União Europeia. Também é possível fazer transações bancárias; checar a autenticidade de documentos assinados; criptografar e enviar documentos com segurança; assinar digitalmente documentos da sua empresa; e declarar seus impostos online.

Ficou interessado e quer entender melhor como funciona o e-Residency? Espia aqui o site oficial com todos os detalhes de como fazer parte dessa nação digital sem fronteiras. =)

como funciona o e-Residency

Visto especial para nômades digitais deve rolar em 2019

Com mais de 50 mil pessoas de 157 diferentes países utilizando o e-Residency, o programa é uma ótima solução para os nômades digitais e os próximos movimentos serão ainda mais importantes. Está previsto que em 2019 seja lançado o visto especial para nômades digitais, o que facilitaria muito a vida dos nômades brasileiros que não possuem passaporte europeu e gostariam de permanecer no continente mais do que os 3 meses de um turista comum.

A iniciativa deve partir, novamente, da Estônia, que acredita que um negócio digital não precise estar vinculado a uma localização física. O que o visto eletrônico propõe é que os empreendedores e viajantes de diferentes nacionalidades possam se estabelecer por mais tempo em um único lugar.

A proposta do visto é que os nômades digitais possam permanecer até 365 dias na Estônia, além de incluir um visto de trabalho válido por 90 dias para circulação nos países que fazem parte do Acordo de Schengen.

Faz muito sentido, né? Principalmente para países como a Estônia, que buscam mais contribuintes e, consequentemente, crescimento para o país. Afinal, um nômade que se instala em uma cidade vai pagar aluguel e consumir diariamente como qualquer outro cidadão residente.

Onde trabalhar na Estônia?

Bom, já que dessa vez decidimos falar de um país como um todo, não vamos indicar um coworking em específico. Mas, se estiver buscando por um local estruturado e acessível para estrangeiros, o mais certo é partir rumo à capital, Tallinn.

Por lá, são vários os espaços que estão preparados para receber não só os nômades digitais, mas também as centenas de novas empresas que não param de surgir todos os anos. Vale lembrar que, graças ao fomento às novas tecnologias, o país é o local de nascimento de várias importantes startups e produtos mundialmente conhecidos — o mais famoso deles é o Skype.

Na capital, alguns espaços se destacam:

Lift99: é a casa de dezenas de startups e tem um ambiente totalmente inovador e voltado ao empreendedorismo. Se a sua ideia é estar perto das startups europeias, esse é o seu lugar!

como funciona o e-Residency

como funciona o e-Residency

Mektory: o coworking está vinculado com o Business and Innovation Centre of Tallinn University of Technology (TTÜ). Portanto, como já é de se esperar, os estudantes e empreendedores que escolhem esse espaço estão diretamente ligados com tecnologia. Vale a pena visitar!

Spring Hub: um espaço superbacana e com capacidade para mais de 150 profissionais. No site deles você pode conferir os nomes das empresas, freelancers, organizações e startups que fazem parte da comunidade.

267

Espaços de Coworking conhecidos
em São Paulo

Alterar região ↺

Experimente trazer a sua empresa para um ambiente
mais inspirador, ágil e flexível.

Conheça todos espaços em São Paulo Eu não estou em São Paulo ↺