Guia de boa convivência do coworking

Algumas regrinhas ajudam a melhorar o dia a dia nos espaços compartilhados. Vamos dar uma olhada nelas?

Imagem Guia de boa convivência do coworking

O coworking pode ser o lugar perfeito para criar novas e positivas conexões. Mas, se você for o mala do recinto, dificilmente você vai se adaptar, e mais raras ainda serão as possibilidades de parceria e negócios. Como esse universo todo é muito novo para a maior parte das pessoas, decidimos criar esse guia de boa convivência do coworking.

Antes de irmos para as “regrinhas” para uma boa adaptação ao espaço compartilhado, tem outro conselho bem importante que preciso te dar. Antes de fechar um contrato com o escritório, visite o espaço e faça um “test-drive”, nem que seja por um dia só. É super importante sentir a “vibe” do lugar e ver se você se identifica.

Talvez a sua cidade não possua muitas opções de coworking mas, se houver, é ótimo fazer experimentos antes de escolher o lugar que você vai chamar de escritório. É como um sapato que você pretende comprar: não adianta ser bonito e a última tendência do momento se ele for machucar seus pés.

Cada espaço possui um perfil, uma dinâmica de rotina diferente. Pode acontecer de um advogado não se adaptar tão facilmente em um ambiente cheio de profissionais da criatividade que jogam videogame durante o expediente.

Mas então, vamos às dicas de boa vizinhança?

Não fale alto no telefone (ou pior, com o viva-voz ativado)

Essa é, sem dúvida alguma, a reclamação mais frequente nos espaços compartilhados. Dá para acreditar que tem gente que não se dá conta de que está atrapalhando todo mundo?

Dá uma olhada neste link aqui. Esse é um guia que preparamos há algum tempinho sobre os prós e contras de cada tipo de ambiente de trabalho. É de se esperar que o coworking seja mais barulhento que o seu home office, claro. Mas, por se tratar de um local que as pessoas vão justamente para produzirem, espera-se um pouco de bom senso coletivo nesse quesito.

É claro que um coworking não é uma biblioteca e dificilmente vai ser um ambiente silencioso. Ninguém está pedindo para você não atender o telefone na sua mesa — até porque o trabalho de muita gente envolver ficar o dia todo na linha. Mas é bacana tentar controlar o volume da voz e, obviamente, evitar escutar a ligação no viva-voz.

Use os espaços destinados para reuniões ou ligações. Se o coworking não tiver essa opção, aproveite para tomar um café na cozinha enquanto fica no telefone resolvendo aqueles pepinos intermináveis. Ninguém precisa ficar ouvindo todo o seu diálogo com o cliente ou com o banco que ligou para oferecer um novo limite no cartão de crédito.

Por último, infelizmente temos que falar dos coworkers que insistem em ouvir a ligação no viva-voz. Se você faz isso, shame on you! Essa é uma das situações mais desagradáveis do dia a dia de um coworking, porque todos ficam constrangidos e incomodados. Nesses casos, a boa e velha empatia é sempre necessária: você gostaria de ter que pedir pro colega ao lado desligar o telefone ou falar mais baixo?

Não seja espaçoso demais

Tudo bem que você paga uma mensalidade para estar trabalhando no coworking, mas isso não quer dizer que você pode ser folgado. Saiba respeitar os espaços coletivos, bem como a mesa do seu vizinho.

Vamos incluir nesse tópico o cuidado com as refeições. Comer uma maçã enquanto trabalha na sua mesa é tranquilo, mas mandar uma macarronada cheia de molho de tomate na mesa branquinha pode não ser muito bacana. Use e abuse da cozinha, copa, salão de festas, enfim, de todos os lugares destinados às refeições.

Cuidado com o que você deixa pela sua mesa. Já aconteceu comigo de um colega esquecer um pacote de biscoitos sobre a mesa e, no dia seguinte, a ilha inteira estar cheia de formigas. Serviu de lição para ficarmos mais atentos.

guia de boa convivência do coworking

Tire um tempo para interagir com os coworkers

Eu sou uma pessoa um pouco introvertida, então levei um tempo para conseguir socializar no coworking. Sou daquelas pessoas que precisa ser puxada meio a força pra conversa, sabe? Prefiro primeiro observar o ambiente e depois me inserir. Mas a minha rotina ficou totalmente diferente quando comecei a conversar com os colegas que sentavam perto e também na cozinha enquanto almoçava.

Encontre formas de se aproximar das pessoas. Levar um lanche para compartilhar pode ser uma boa ideia para os seus primeiros dias no escritório. Ofereça um petisco e já aproveite para trocar uma ideia, se apresentar e perguntar o que os colegas fazem.

Participe dos eventos criados pelo coworking. Ao organizar um café da manhã ou uma palestra gratuita, é principalmente nos membros do espaço que o community manager está pensando.

Aqui no Rio Grande do Sul, com o hábito de tomarmos chimarrão, foi a forma que encontrei de interagir com meus companheiros de bancada de trabalho. Nossas áreas de trabalho eram bem opostas: eles eram o time de uma empresa de TI, e passavam o dia falando sobre desenvolvimento de códigos e coisas que eu sequer podia entender. Mas o chimarrão compartilhado nos fez trocar algumas ideias, além de que percebi que no horário de almoço a maioria de nós assistia ao mesmo canal no Youtube. Pronto: tínhamos a nossa forma de conexão!

Não utilize os itens compartilhados como se fossem seus

Mais uma dica que envolve se adaptar com o conceito de coletividade. E tudo bem, estamos todos aprendendo. Tem coisas que fazemos sem nem percebermos, como pegar o grampeador emprestado e esquecer na nossa mesa. Por isso, o ideal é utilizar os itens compartilhados nos locais em que eles devem ficar. Precisou usar a tesoura? Use e já coloque de volta no lugar! Não leve a térmica de café para a sua estação de trabalho, por mais que você seja um bebedor inveterado desta iguaria, ok?

Ah, também é preciso respeitar as coisas da geladeira. Pegue apenas o que é seu! Eventualmente, quando houver lanches compartilhados, alguém vai avisar a todos ou deixar um bilhete perto do prato. Evite deixar o colega sem almoço, certo?

Evite espalhar aromas excessivos ou desagradáveis pelo recinto

Essa é a nossa forma sutil de abordar um tema delicado. Alguns problemas recorrentes: colegas que exageram no perfume, pessoas que esquecem do desodorante ou coworkers que resolvem comer algo com cheiro muito forte na estação de trabalho.

Um exemplo real, que aconteceu comigo: eu trabalhava em uma agência de comunicação, em uma sala bem pequena, com quase 10 pessoas espremidas em uma sala com carpete no chão. A situação já era, em geral, insalubre. Até que um dia, nós, redatores e diretores de arte superconcentrados no meio de uma tarde normal, começamos a sentir um cheiro ruim. Parecia peixe, ou algo podre. Ao olharmos pra trás, tinha uma colega comendo uma lata de atum. Sim, a-t-u-m.

Nesse caso o ambiente não era um coworking, mas obviamente faltou bom senso da colega. Na hora mesmo ela entendeu o recado, e depois desse episódio o causo virou piada — mas seguiu como um (mau) exemplo para todos.

Outro episódio que aconteceu comigo, por bastante tempo, era uma colega viciada em sprays aromatizantes. Eu adoro um bom cheirinho, e quando estou no meu home office sempre tenho um incenso aceso por perto. Mas, nesse caso citado, a colega passava o dia apertando aquele spray muito perto de mim, às vezes direcionado para o meu rosto — será que era um recado pra eu tomar mais banho e eu que não entendi? Eu tenho rinite alérgica e nem perfume eu uso no dia a dia para não ficar sensível, era uma situação bem incômoda pra mim, e mesmo para outros colegas menos suscetíveis. Foram quase três anos precisando tomar antialérgico quase que diariamente. Desde que mudei de ambiente, são raras as vezes que preciso tomar remédio.

Portanto, cuidado com os excessos e tente perceber se você não está incomodando as pessoas ao seu redor.

guia de boa convivência do coworking

Leve seu fone de ouvido

Mesmo que você não goste de ficar ouvindo música enquanto trabalha, ou se as suas demandas não permitem esse luxo, carregue um fone de ouvido para o escritório. Te damos três motivos para isso:

  • sempre vai ter algum vídeo que você vai querer espiar no Youtube, e ninguém mais é obrigado a ouvir o áudio com você;
  • em alguns momentos de maior agitação da galera do office, talvez você precise colocar os fones para conseguir se concentrar;
  • o fone na orelha é um sinal que você dá para os demais que você está ocupado e/ou nem um pouco a fim de papo.

Limpe sua sujeira

Por mais que o coworking tenha um colaborador que faça o serviço de limpeza, é importante lembrar que ele não está lá para ser seu empregado. Poxa, o que custa lavar a sua caneca de café? Ah, e as regras da cozinha são claras: lave, seque e guarde.

Tente não esquecer louça suja em sua estação de trabalho de um dia pro outro — sabemos que às vezes acontece — principalmente se você toma café com açúcar. Formigas adoram aquela meleca que fica no fundo da xícara, fica o alerta. 😛

Respeite os espaços que precisam ser reservados

Você até pode aproveitar que não tem ninguém na sala de conferências para fazer aquela ligação importante, mas é sempre bom conferir com o gestor do espaço se você pode fazer isso. E mesmo que o uso dessas salas esteja incluso no seu pacote como membro do espaço, também é importante conferir a agenda, para se certificar que mais ninguém reservou aquele local.

Ah, e quando for utilizar a sala para uma reunião, não extrapole seu horário. Lembre-se que provavelmente haverá uma reserva depois da sua, uma outra reunião com horário marcado.

Não fique pedindo coisas emprestadas o tempo todo

Uma boa ideia para evitar isso é ter uma checklist na sua agenda ou celular. O que você precisa levar com você todos os dias ao sair de casa? Computador, fonte, adaptadores, carregador de celular, bateria externa, kit de higiene, fone de ouvido e assim por diante.

É claro que imprevistos acontecem, mas essa organização faz parte da sua rotina profissional. Todo mundo pode precisar pedir algo emprestado para o colega ao lado, mas quando vira rotina começa a ficar chato.

guia de boa convivência do coworking

Ajude nas ações colaborativas do dia a dia

Mais uma vez, mesmo que o coworking possua funcionários responsáveis pela limpeza ou pelo cafezinho, vale ajudar sempre que possível. Por exemplo, se na sua vez de pegar café a térmica der sinal de que o líquido sagrado está perto do fim, avise o responsável por esse setor ao invés de virar as costas e deixar o próximo colega sem café. Ou então se ao ir no banheiro o papel higiênico acabar, contate a equipe para que os itens sejam repostos.

Respeite o momento de trabalho dos demais coworkers

Já falamos como ser amigável é importante para criar conexões no espaço compartilhado. Mas também é importante saber respeitar os limites dos colegas. Talvez você consiga fazer o seu trabalho enquanto bate-papo, mas alguém que está tentando escrever um artigo provavelmente vai precisar um pouco de silêncio para focar.

Não puxe papo toda hora e perceba os sinais de “não disturbe”. Você não vai ver uma placa com esses dizeres, mas é importante perceber se o colega ao lado está com fone no ouvido ou com uma feição concentrada. Será mesmo que essa é a hora de interromper para comentar os gols que o seu time fez ontem?

Em geral, o que podemos perceber diante dessas frequentes reclamações é que falta empatia. Entendo também que a cultura do compartilhamento é bastante nova e que estamos em constante aprendizado. Por isso que guias como esse são necessários. Não é nada pessoal com nenhum colega específico, é só um guide line para melhorar o ambiente.

Para os founders e community managers, que tal enviar esse guia de boa convivência na news dos membros do espaço? Para os coworkers, sempre é válido rever o nosso comportamento diário. Ah, e se você acha que faltou algum toque específico neste texto, mande sua dica pra gente nos comentários! Vamos estar sempre atualizando este artigo conforme vivermos novas e desagradáveis situações. 😛

311

Espaços de Coworking conhecidos
em São Paulo

Alterar região ↺

Experimente trazer a sua empresa para um ambiente
mais inspirador, ágil e flexível.

Conheça todos espaços em São Paulo Eu não estou em São Paulo ↺