Coworking na prática: como escrever o descritivo do seu espaço?

Algumas dicas ajudarão você a escrever um texto que realmente transmita ao futuro coworker a energia do seu espaço.

Imagem Coworking na prática: como escrever o descritivo do seu espaço?

Aqui no Coworking Brasil, nós estamos em contato com dezenas de espaços compartilhados todos os dias. Trocamos ideias, esclarecemos dúvidas e navegamos por páginas e mais páginas dos coworkings brasileiros diariamente. Na nossa plataforma, todos os espaços cadastrados possuem um espaço para contar ao seu futuro coworker o que eles têm de melhor a oferecer.

E, como estamos sempre buscamos melhorias e novos insights para promover a cultura coworking de forma eficiente no país, percebemos que precisávamos trazer para os founders e futuros founders algumas dicas de como escrever o descritivo do seu espaço — ou, para quem já o fez, talvez repensar seu texto e criar algo que valorize verdadeiramente seu trabalho.

Depois de analisarmos alguns perfis de espaços aqui do site e fazermos algumas pesquisas, além da nossa expertise em conteúdo, destacas algumas das principais dicas para que você possa elaborar uma descrição de peso para apresentar o seu coworking para o mundo.

Dá uma olhada nos principais pontos que levantamos:

Seu coworking é muito mais que uma sala com mesas e wi-fi, certo?

Nós acreditamos que a experiência em cada coworking é diferente. Logo, você não quer que o leitor da sua descrição leia apenas “somos um espaço x, localizado no bairro x, com x salas de reunião e x estações de trabalho”, certo?

É bem provável que uma pessoa que está buscando um espaço para trabalhar já deduza que você possui internet, mesas e salas de reunião. Afinal, esse é o básico.

Com um descritivo nesse estilo, você dificilmente vai gerar aquela curiosidade a mais, que é o que faz alguém efetivamente querer conhecer o seu espaço pessoalmente. Expondo apenas as suas características técnicas você também corre o risco de gerar a temida pergunta: “tá, mas se é só isso, então eu posso trabalhar em qualquer cafeteria por aí que também tem wi-fi, não?”.

Qual é a alma do seu coworking?

Continuamos batendo na tecla de que se alguém abre um coworking simplesmente porque tinha um imóvel e umas mesas sobrando, e queria fazer um dinheiro com isso, já começou errado. Mas nada que não possa ser consertado, ok?

Para isso, responda essa pergunta essencial: qual é a alma do seu negócio? Como você definiria a personalidade do seu espaço? O que te motiva todos os dias a construir uma comunidade unidade e próspera? Essas são algumas questões interessantes para você pensar antes de escrever seu descritivo.

Propomos também um exercício: tente escolher algumas palavras-chave que descrevam o seu espaço. A partir disso vai ficar mais fácil descrever seu espaço pensando nas características dele.

Qual o sentido do seu coworking existir do jeito que existe?

Em cidades como São Paulo, que já possuem dezenas de espaços em cada região, é essencial que você tenha um norte, um sentido para as coisas. Ou será que foi por acaso que você escolheu o prédio que se instalou e a configuração do escritório? Não, né?

É bem provável que você tenha investido meses pesquisando e planejando antes de tirar as ideias do papel. Então compartilhe com seu futuro coworker o que te motivou a seguir esse caminho! Conte para ele qual foi o seu impulso inicial para abrir um coworking, por que você escolheu o bairro que se instalou, o que imaginou para o seu negócio e assim por diante.

como escrever o descritivo

O que você buscaria em um coworking?

Coloque-se no lugar de alguém que está buscando um espaço de trabalho: o que você desejaria ter no seu dia a dia que você não consegue encontrar no home office ou em um café?

Faça com que as pessoas consigam se imaginar trabalhando do seu espaço: fale sobre os projetos bacanas que surgem depois de um café no lounge, das amizades que nascem no horário do almoço, nas inspirações que podem nascer ao se trabalhar olhando para uma vista incrível e outras tantas particularidades que seu espaço pode oferecer.

Seu descritivo não é um release de divulgação

A nossa função aqui é te ajudar o máximo possível, então, acredite na gente: deixe o seu release de lado! Esse modelo de texto se manda para veículo de comunicação, no seu descritivo o tom é de conversa.

Deixe a linguagem rebuscada bem longe. Bata um papo franco com o seu leitor e futuro parceiro. Use o tom que tem a ver com o seu espaço. Seu coworking tem um ambiente descontraído? Então deixe isso claro com o seu texto! Seu escritório tem uma postura um pouco mais formal? Ok, então use sentenças que mostrem um pouco disso.

Se você sentasse pessoalmente com um amigo para contar sobre o seu projeto de coworking, o que você falaria? O que vem na sua cabeça imediatamente? O que é o mais excitante nessa ideia? Você não precisa ser um profissional da escrita, mas o conteúdo tem que ser sincero e de coração.

Venda o seu peixe, mas não desenhe-o como um golfinho

Não exagere! Você quer se vender, claro, mas não esqueça que, se você conquistar o leitor, ele irá pessoalmente conhecer seu espaço. Logo, não tente vender algo que você não vai poder entregar. Mesmo que ele não perceba de cara, com uma ou duas semanas de trabalho as coisas vão aparecendo e ele pode se decepcionar.

Quem é a sua comunidade?

Sempre falamos aqui que a parte mais importante de todo coworking são as pessoas. São elas que fazem tudo acontecer e proporcionam o maior diferencial de um espaço compartilhado para um home office ou café: as conexões.

Portanto, fale sobre os profissionais da sua comunidade. Quais são as especialidades mais presentes por aí? Tem algum nicho que acaba se destacando? E não se preocupe, a predominância de um tipo de profissional não necessariamente exclui os outros que podem vir. Fale como essas conexões podem ser positivas!

Exponha a visão do seu coworker

Como founder, talvez você não saiba qual é a impressão que um coworker tem do seu espaço. E realmente, é difícil sair do seu papel e tentar observar como “espectador”. Então, uma boa ideia é conversar com os clientes mais antigos e perguntar a opinião deles.

Tente se colocar no lugar de quem está procurando um coworking, visite o seu espaço como um cliente em potencial. Muitos efeitos positivos podem surgir dessa experiência, inclusive melhorias que você pode fazer e que ainda não havia percebido a necessidade.

como escrever o descritivo

O que tem de mais legal no seu bairro?

A localização é um dos pontos mais importantes quando alguém está procurando um local de trabalho compartilhado, principalmente nas cidades enormes como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Essa é a hora de explicar um pouco do que o seu bairro oferece: antes de tudo, como chegar até ele? Quais são as opções de transportes? É tranquilo para ir de carro? Tem onde estacionar? Tem ponto de ônibus ou de metrô por perto?

Outros itens relevantes dessa categoria para você abordar são as facilidades das redondezas. Desde a padaria para o coworker pegar aquele pão fresquinho para levar para casa depois do expediente até o shopping mais próximo e o parque para dar uma relaxada no horário de almoço.

Não faça o impossível para atrair clientes que não irão ficar

Como já falamos neste texto aqui sobre concorrência, nós não acreditamos muito nisso. Enquanto o mercado coworking estiver crescendo, todos estamos felizes.

É claro que, como qualquer outro negócio, você precisa de clientes para ser uma empresa sustentável. Mas isso não quer dizer que você deve atrair qualquer tipo de pessoa apenas para lucrar e seguir seu negócio. Você precisa atrair as pessoas certas, que se identificarão com o seu espaço e permanecerão aí por mais tempo, evitando decepções e relações passageiras — para ambos os lados.

Acredite: quem vem por preço vai por preço!

É hora de organizar suas ideias

Além de saber o que escrever, que é o mais importante, você deve saber organizar as suas ideias. Pense na estrutura do texto. Mais uma vez, coloque-se no lugar do leitor: você teria paciência e tempo para ler um texto denso e maçante? Faça frases curtas e objetivas, mas sempre envolventes. Escolha as palavras com carinho. Lembra que falamos para você definir algumas palavras-chave? Por isso elas são tão importantes!

Não adianta fugir: você precisa de (muitas!) fotos de qualidade

A internet está cada vez mais visual, então nem pense em ter um perfil com apenas uma ou duas fotos mal tiradas. Já falamos sobre esse assunto em um post específico, então deixamos o link aqui para não ficarmos nos repetindo. Nele você vai ler várias dicas de como capturar pelas lentes a alma do seu negócio.

Dizem que a primeira impressão é a que fica, então dedique tempo e atenção para a sua apresentação. Essa é a sua chance de se destacar e captar a atenção dos seus possíveis coworkers, mostrando o que há de mais importante no seu espaço.

Procure estabelecer uma conexão, sem se preocupar se você vai fazer o estilo de todas as pessoas que procuram um espaço de trabalho. Seu papel aqui não é agradar a todos, mas sim quem realmente tem a ver com seu coworking.

Mostre para o mundo o que o seu espaço tem de único! Se você nunca pensou nisso, talvez agora seja hora de pensar!

 

Leia também:

285

Espaços de Coworking conhecidos
em São Paulo

Alterar região ↺

Experimente trazer a sua empresa para um ambiente
mais inspirador, ágil e flexível.

Conheça todos espaços em São Paulo Eu não estou em São Paulo ↺